Apesar de não serem tão conhecidos, os fungos são seres vivos que possuem uma relação muito grande com os seres-humanos, principalmente em relação a alimentação.

Apesar de não serem tão conhecidos, os fungos são seres vivos que possuem uma relação muito grande com os seres-humanos, principalmente em relação a alimentação.

Muitos cogumelos, por exemplo, são usados diretamente na alimentação, como os champignons e as trufas. Outros fungos são usados como complementos devido a suas composições químicas e nutricionais, como os fermentos, usados em massas e bebidas.

Algumas espécies de bolores, como são popularmente conhecidos os fungos filamentosos de estrutura física simples, são considerados iguarias culinárias, dando um sabor diferente para alguns tipos de queijos, como o gorgonzola, o roquefort, o camembert e o brie, que são fabricados de forma que o fungo não prejudique o alimento, pois a maioria dos bolores, como as espécies do gênero Rhizopus são responsáveis pela decomposição de muitos alimentos.

Muitos alimentos, como os pães, têm sua função alimentícia prejudicada devido à proliferação dos fungos, que contaminam o alimento, tornando-o inapto para o consumo humano.

Combatendo os bolores na produção alimentícia:

O processo de proliferação de fungos nos alimentos seja natural, mercadologicamente falando, não é nada rentável, pois os produtos estragam muito rápido e teriam que ser descartados antes mesmo de serem comprados, causando enormes prejuízos aos fabricantes.

Levando em conta estes fatos, a indústria alimentícia buscou o auxílio da ciência para desenvolver estratégias para que o alimento fosse durável e resistente aos bolores. Dessa forma surgiram os produtos anti mofo, que tem como objetivo erradicar a possibilidade da proliferação dos fungos, ou pelo menos adiar o processo natural, garantindo uma vida útil muito maior para o produto.

Esses conservantes agem não apenas de forma a deixar o produto mais durável, mas também para permitir que o alimento chegue mais saudável para o consumidor, pois uma vez contaminado por fungos, o produto pode trazer prejuízos consideráveis para a saúde, podendo causar alergias respiratórias, diarreia, intoxicação alimentar e até mesmo câncer, dependendo do tipo de fungo e do nível de proliferação.

O processo de aplicação do produto anti mofo pode ser feito com o material em estado líquido ou em pó. No caso do estado em pó, o conservante é utilizado na mistura da massa, quando o produto está ainda cru. No estado líquido, o anti mofo líquido é pulverizador por borrifadores manuais, pistolas, ou máquinas de pulverização, que espalham o anti mofo líquido por todo o produto quando este já se encontra pronto. É comum também que o anti mofo seja aplicado na embalagem do produto, sem que isso interfira na eficácia do produto.

É possível encontrar o anti mofo líquido já pronto, mas também é comum a fabricação do químico com uma consistência mais densa, próprio para ser diluído com álcool 96° de grau alimentício, sem que isso interfira em sua eficácia. Normalmente, uma mistura de 5 litros de álcool, com 250 ml de anti mofo são suficientes para uma aplicação satisfatória.

Existem também alguns conservantes aromatizados, próprios para serem aplicados em alimentos específicos. Contudo, a maioria desses conservantes possuem aspectos incolores e ausentes de aromas, mesmo que essas condições possam ser alteradas posteriormente.

Os produtos sujeitos ao processo da aplicação anti mofo precisam de um tempo estimado em três horas para que o conservante faça efeito.

A forma manual de aplicação de produtos anti mofo, são a forma mais simples de realizar este serviço, contudo, não a mais eficaz, já que a forma manual pode não estabelecer um equilíbrio em relação a quantidade de conservante usado em cada produto, alguns podem receber uma quantidade muito maior ou muito menor que os outros. Outro problema é que o processo manual pode atrasar uma produção em larga em escala, já que é necessário um certo tempo e disposição do profissional que vier a realizar essa tarefa tão cansativa.

Por esse motivo, grandes produtores de alimentos optam pela aplicação automatizada de produtos antimofo, através de máquinas especializadas, que além de realizarem a tarefa de forma mais rápida, também são mais eficientes para espalhar o anti mofo líquido por todo o produto.

O processo na máquina é bastante simples, basta colocar os produtos já prontos em uma esteira automática e aguardar que a máquina realiza todo o processo sozinha, exigindo que o profissional responsável apenas acompanhe o procedimento e aguarde os produtos devidamente finalizados e prontos para serem embalados.

Vale lembrar, que tanto o processo automatizado quanto o manual, podem ser usados em qualquer alimento a base de massa fermentada, e não apenas em pães. Produtos como massas de pizzas, pães de ló, bolos e panetones também podem ser submetidos ao processo.

Combatendo os bolores em casa:pao_bolorado_antimofo

Considerando os males que os bolores podem trazer através de sua proliferação nos alimentos, algumas técnicas foram sendo desenvolvidas para conservar os alimentos, principalmente os pães, que são constantemente consumidos pelas pessoas, mas também são muito afetados pelos fungos.

Algumas dessas técnicas são bastante simples, e são comumente usadas por muitas pessoas no dia a dia, como o simples gesto de guardar o pão em um local apropriado, normalmente longe de excesso de luminosidade e temperaturas quentes ou frias demais. Manter o alimento longe da umidade também é bastante para que os fungos não se manifestem.

Os pães também podem ser conservados de forma bastante apropriadas com a utilização de objetos especiais, como portas-pão ou cestas de pão, que podem ser feitas de metal, madeira ou cerâmica, todos são de grande auxílio para manter o pão fresco e livre de umidade.

Conheça o Conserv, a melhor solução Anti Mofo do mercado de Panificação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *